segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012
Pessoal,

Estou assistindo as aulas online do Curso de Memorização ministrado pelo professor Alberto Dell'Isola e resolvi fazer um resumo das dicas de ouro que dá para os concursandos de plantão. Eu estou adorando as aulas, pois descobri que diariamente tomo várias atitudes que eu nem imaginava que seriam nocivas à minha memória. Está me ajudando bastante!

Quem quiser assistir as aulas, que são gratuitas, basta clicar aqui.

Fracionarei o resumo em várias partes, para não ficar muito extenso nem cansativa a leitura, bem como tentarei escrever em tópicos curtos. Segue abaixo a primeira parte.

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE A MEMÓRIA:

1) "Entender" não se confunde com "memorizar", ambos são processos importantes que caminham juntos e não se excluem.

2) Mnemônica não é fácil, há um preço a se pagar pela adoção de cada técnica de memorização, cujo custo-benefício deve ser avaliado caso a caso - não há um grande segredo infalível para todos os casos.

3) O esquecimento é uma das ferramentas mais importantes do nosso cérebro, é o que nos ajuda a superar as perdas pessoais para conseguirmos seguir em frente. É exatamente por isso que quando um teste gera ansiedade, a primeira reação do cérebro é tentar esquecer a matéria, a fim de nos fornecer bem-estar e qualidade de vida.

4) O cérebro é como uma ferramenta de busca de um computador, ele continua buscando o que lhe foi acionado até encontrar, não adianta pressionar. Assim, se insistimos demasiadamente em lembrar algo, ficamos ansiosos e, como dito acima, não conseguimos recordar. Quando relaxamos e paramos de pensar fixamente naquilo, a resposta finalmente vem à mente. Isto porque a nossa ferramenta cerebral de busca é mais eficiente quando funciona de modo espontâneo. Conclusão: quando der "branco", a melhor coisa a se fazer é pensar em outra coisa (ou mudar de questão quando estiver fazendo uma prova).

5) Quando dominamos bem um tema, não esquecemos. O famoso "branco" acontece em relação a memórias recentemente adquiridas  ou que ainda não tiveram a exposição necessária para se converterem em memória de longo prazo. Os temas que realmente entendemos muito bem fazem parte da memória de longo prazo, mais disseminada no córtex cerebral.

6) É crucial observar bem o objeto da memorização.

7) É mais fácil lembrar das coisas por categoria - o professor fez um teste com os alunos e provou que conseguimos pensar em 15 segundos em mais frutas do que palavras iniciadas com a letra "n", embora no dicionário existam muito mais palavras com a letra "n" do que frutas. Isso porque as frutas estão categorizadas e, portanto, armazenadas em uma mesma região do cérebro, sendo mais fácil acionar este banco de dados. 

8) A memória funciona através de gatilhos, uma coisa remete a outra e aí por diante. Portanto, é importante trabalharmos com os gatilhos adequados (será melhor explicado mais à frente).

9) São muito comuns dois comportamentos extremamente nocivos à memorização: menosprezar o objeto (achar que é fácil e portanto não esquecerá jamais) e manter pensamentos negativos (achar que nunca vai conseguir guardar determinada informação). Assim,  a nossa confiança tem que ser na medida certa, não pode ser 08 ou 80.

Termino por aqui a exposição de hoje. Em breve publicarei a Parte 02 do resumo.

2 comentários:

Alberto Dell'Isola disse...

Parabéns pelo resumo! Ficou muito legal!

Abraços!

Anônimo disse...

Obrigado pelo resumo!!!

Sobre Mim

Minha foto
Marina Fraga
Marina, 27 anos, advogada, especialista em Direito Ambiental. Adoro escrever matérias jurídicas, descobrir macetes para concursos e participar de debates que versam sobre Direito. Pretendo, por meio do Blog Law Tips, compartilhar com vocês um pouquinho do produto dos meus estudos e pesquisas!
Visualizar meu perfil completo