quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012
ESTRATÉGIAS EXTERNAS (ambiente de estudo, alarmes, agenda, etc.):

1) Estudar ouvindo música clássica aumenta o Q.I.? Mito. Tal premissa não foi comprovada cientificamente. O que pode acontecer são pessoas que se concentram mais em ambiente com música e assim seu rendimento é melhor (não é o meu caso. Portanto, não estou incentivando a música durante os estudos).

2) As mudanças internas (psicológicas e comportamentais) são mais importantes que os fatores externos, mas estes também devem ser levados em consideração.

3) O ideal é reproduzir no ambiente de estudo as condições da prova. Portanto, a dica é estudar em um ambiente pouco barulhento, como uma biblioteca, onde todos ficam em silêncio, mas você deve se adaptar ao barulho de papéis, canetas, etc.

4) Não devemos fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo - estudos comprovam que nestes casos há declínio cognitivo.

5) Solução para os problemas de sono durante o estudo: primeiramente, dormir 08 horas diárias, sob pena de haver queda do poder cognitivo. Se sofre de insônia, deixar de utilizar a cama para outras atividades sem ser dormir é um bom começo, pois nosso cérebro deve ser adestrado de modo a assimilar que aquele ambiente é destinado somente ao sono. 

CURVA DE ESQUECIMENTO:
1) O segredo está na forma de repetição: devemos ter um calendário de revisões sistemáticas. Só assim aquilo que memorizamos é convertido em memória de longo prazo.

2) Esquecemos 80% do que aprendemos nas primeiras 24 horas. Assim, a revisão deve ser feita dentro deste período na razão de 10 minutos para cada hora de aula/estudo. Na semana seguinte a razão poderá ser de 05 minutos/hora e ao final de um mês de 2 a 4 minutos/hora.

AUTOSSABOTAGEM:
1) A autossabotagem consiste em um induzimento do seu subconsciente a desviar do projeto de estudo para outras atividades mais prazerosas. É muito comum o sabotador interno estimular a gastar o tempo na internet, no telefone, assistindo à televisão, dormindo, etc.

2) A técnica mais eficiente para lutar contra nosso sabotador interno chama-se Técnica do Condicionamento Operante: a solução não é deixar de executar estas atividades que são prazerosas, mas sim controlar como elas devem ser desempenhadas. Ex.: cumprida a meta diária de estudo satisfatoriamente, dê a si mesmo o direito de assistir a um filme no cinema como recompensa. Se não cumprir, perde a recompensa.

3) É importante adotar a técnica supramencionada porque, além de se tratar de um estímulo para os estudos, não deixamos de ter o momento certo dedicado aos deveres, bem como o de relaxamento. Quando não há este equilíbrio acaba ocorrendo a seguinte situação: se somente estudamos, a concentração cai pois passamos parte do tempo pensando no lazer; se somente nos divertimos e descansamos, passamos o momento de lazer pensando nos estudos com aquele sentimento de dever não cumprido e de frustração (ex.: viajar no carnaval levando o vade mecum, que você jamais leria em pleno feriado). Assim, se não há esta conciliação não desempenhamos adequadamente nenhuma de nossas atividades.

* Para assistir ao curso, que é gratuito, clique aqui

Até a próxima parte do resumo!


0 comentários:

Sobre Mim

Minha foto
Marina Fraga
Marina, 27 anos, advogada, especialista em Direito Ambiental. Adoro escrever matérias jurídicas, descobrir macetes para concursos e participar de debates que versam sobre Direito. Pretendo, por meio do Blog Law Tips, compartilhar com vocês um pouquinho do produto dos meus estudos e pesquisas!
Visualizar meu perfil completo